Olá, caros amigos… aqui segue mais um post para compartilhar com vocês um fato muito pertinente em nosso meio musical. Em pararelo, parabenizo o Marcio Souza pela atualização deste blog… tá filé…hehehe…(y)

Vamos direto ao assunto… Qual seria o perfil de um ministro de louvor nos dias de hoje? Vemos muitas referências que nos auxiliam ou nós mesmos não estamos sendo essa referência a outrem? Creio que não seja necessário citarmos os princípios básicos que venham a preencher esse perfil, pois já são sabidos de todos (espero que seja, pelo menos, do conhecimento dos que estão no Ministério de Louvor), mas vejo que a postura e maturidade sejam as mais relevantes.

Quando estamos à frente da congregação, devemos estar atentos ao tipo de mensagem que passamos com as nossas vidas. É uma constante atitude de policiamento em nossa maneira de falarmos e como nos portamos. Não se torna necessário virarmos robôs, mas sempre é válido termos esse tipo de postura. A mídia, infelizmente, evoca os péssimos exemplos de ministros de louvor. Se formos ver, temos exemplos de pessoas que difamaram o seu ministério e ainda o nome de Deus por conta de seus atos insanos.

Não somos pessoas perfeitas e isso é fato. Entendo que ao sermos ministros, temos a suma responsabilidade de estarmos vigiando nossas atitudes, pois isso pode interferir no momento em que estamos cantando ou tocando no louvor. Detalhe simples, mas que causa grande estrago se não atentarmos para isso. Costumo dizer que temos a autoridade para abençoar e destruir vidas. Pode parecer assustador, mas é a pura verdade. Podemos carimbar a salvação de alguém ou mesmo carimbar a viagem para o inferno de uma vida. Eu encaro dessa forma, pois assim compreendo que eu posso exercer influências em uma pessoa.

Como ministros, nosso principal objetivo e conduzir o povo a louvar a Deus. Para conduzir, precisamos estar aptos para desempenhar tal função. É sermos um exemplo para que a congregação possa olhar para nós e ver pessoas capazes e confiáveis para mostrar o caminho que leva até o trono de Deus. Muita responsabilidade, não?? Sim, concordo, mas até onde estamos nos aplicando em termos esse perfil ativo em nossas vidas? É um caso para pensarmos…

[]’s e até o próximo post…